segunda-feira, 28 de junho de 2010

Tradição e Modernidade - Contos para uma História do Plano Tecnológico na Terceira Vaga


Para além de ser necessário ressuscitar Max Weber na política como vocação, valeria, também, a pena ler-se Eisenstadt em A Dinâmica das Civilizações:

"A elaboração das características das sociedades tradicionais e modernas que teve lugar nas fases iniciais de investigação salientou em regra as distinções entre ambas; assim, persistiu e tornou-se mesmo mais apurada a concepção destes dois tipos de sociedadades como sendo claramente dicotómicas. Mas apesar da utilização muito frequente do conceito de sociedade tradicional - ou talvez devido a ela -, não surgiu um tratamento mais diferenciado ou aperfeiçoado do conceito de tradicionalidade ou da própria tradição. A diferença entre as sociedades tradicionais e modernas era vista no plano dos traços sociodemográficos e estruturais e, consequentemente, tanto a tradicionalidade como a modernidade eram consideradas como a soma total ou o epítome de diferentes constelações desses traços; e a tradição era entendida como o poder ou entidade que tinha de ser quebrada para assegurar a emergência e ascenção de forças económicas, políticas e sociais modernas, portadoras de desenvolvimento."

Sem comentários:

Enviar um comentário